Variedades

Uma a cada cinco pessoas mudaria de emprego se o novo trabalho fosse mais perto de casa

Dados da Pesquisa Mobilidade Alelo, realizada pela Alelo em parceria com o IBOPE CONECTAÍ, mostram que um a cada cinco trabalhadores brasileiros mudariam de emprego mesmo que fosse para ganhar menos ou para assumir um cargo inferior para trabalhar mais perto de casa.

22% dos entrevistados afirmam que mudariam de emprego com certeza, 43% dizem que talvez mudassem e 35% não mudariam. Salvador é a cidade que tem o maior índice de trabalhadores que mudariam de emprego para ficar mais perto de casa com 29%.

Rio de Janeiro vem em segundo lugar com 28% dos entrevistados. Na sequência estão São Paulo com 24% e Belo Horizonte com 23%.

A explicação para os resultados pode estar associada ao tempo gasto e a distância percorrida pelos trabalhadores.

Atualmente, 64% dos empregados brasileiros ficam no escritório o dia inteiro, 24% a maior parte do tempo no escritório e, às vezes, saem para reuniões e trabalhos externos, 6% trabalham na rua o dia inteiro e 6% atuam na rua e, às vezes, vão ao local de trabalho.

O objetivo do estudo é entender os hábitos de utilização de transporte dos trabalhadores brasileiros para ir e voltar do trabalho, entender o comportamento e perfil dos usuários de transporte público e privado, quanto gastam e o que fazem nesse trajeto.

“Um funcionário insatisfeito pode interferir diretamente no fluxo de uma companhia. Em muitos casos, as pequenas ações do RH podem fazer toda a diferença na rotina de um trabalhador, por esse motivo a Alelo acredita que os dados desse estudo podem provocar discussões saudáveis nas empresas”, destaca André Turquetto, diretor de marketing e Produtos da Alelo.

Compartilhe!